segunda-feira, 3 de março de 2008

AFONIA

A rouquidão ou perda de voz é um problema que atinge qualquer pessoa, principalmente profissionais que cujo principal instrumento de trabalho é a voz. É uma patologia provocada por alterações da mucosa de qualquer das partes da laringe, sendo as cordas vocais a zona que mais sintomatologia costuma dar.
Normalmente aparece acompanhada de dores ao engolir, tosse seca ou uma ligeira subida de temperatura. A afonia pode ter diversas origens, como: Resfriado ou Inflamação da garganta; Alergias; Excesso vocal; Inalação do fumo do tabaco ou até da secura ambiental. Durante o ano, a prevalência da rouquidão faz-se sentir nas gargantas sobretudo no inverno devido, «ao maior número de infecções», mas também na primavera, «por causa das alergias, tão comuns nessa estação do ano».
Deve-se dizer-se que o termo usado para designar este problema é incorrecto, pois nunca chega a faltar completamente a voz. Sendo mais apropriado chamar-lhe “Disfonia”, como problema referente ao ruído causado por correntes turbulentas no interior da laringe ou irregularidade nas vibrações das cordas vocais.
A rouquidão assume níveis de intensidade diferentes. A disfonia pode ir desde um grau ligeiro até que o indivíduo fica privado da sua voz. Ou então, uma rouquidão aguda que é aquela que tem a duração de alguns dias ou semanas. Nos restantes casos estamos perante um quadro crónico, que geralmente é o primeiro sinal de alerta de que algo de errado se passa com o aparelho vocal.
Se uma pessoa permanecer rouca por mais de três meses, mesmo que a intensidade diminua nesse período, tal deve ser considerado «Um sinal de alarme, pelo que deverá ser observada por um médico especialista».
O tratamento varia em função da patologia que origina a rouquidão. «Pode ir desde o simples repouso vocal, passando por tratamento médico ou de terapia da fala, até à cirurgia».

2 comentários:

Ene disse...

ola

Valter Moreira Durães disse...

obrigado pelo artigo. Sou brasileiro e gostei do que li. Esclareceu minhas dúvidas.